Sobre Poços de Caldas

Cidade de Poços de Caldas

Poços de Caldas é um município brasileiro localizado em Minas Gerais, sendo o principal da região Sul/Sudoeste de MG.

História

A história de Poços de Caldas começou a ser escrita a partir da descoberta de suas primeiras fontes e nascentes, no século XVII, encontradas no fundo de um vulcão desde 85 milhões de anos atras. As águas raras e com poderes de cura foram responsáveis pela prosperidade do município desde os seus primórdios, quando as terras começaram a ser ocupadas por ex-garimpeiros, desiludidos com o declínio da atividade aurífera na região das minas. Eles passaram a se dedicar sobretudo à criação de gado, sendo obrigados a percorrer longas distâncias em busca de pasto para os animais.

Mas a região onde hoje se situa Poços de Caldas já tinha proprietário. Pertencia, desde 1818, ao capitão José Bernardes Junqueira. Por isso, quando o Senador Joaquim Floriano Godoy declarou de utilidade pública os terrenos junto aos poços de água sulfurosa, determinou também a desapropriação do local. Um expediente que acabou se mostrando desnecessário, porque o próprio capitão se encarregou de doar 96 hectares de suas terras para a fundação do município. O ato foi assinado no dia 6 de novembro de 1872, data em que se comemora o aniversário de Poços de Caldas.

Desde 1886, funcionava no município uma casa de banho, utilizada para tratamento de doenças cutâneas. Ela se servia da água sulfurosa e termal da Fonte dos Macacos. Em 1889 foi fundado, por Pedro Sanches, outro estabelecimento para o mesmo fim, captando água da Fonte Pedro Botelho, no local onde está o parque infantil Darcy Vargas. Ali, a água sulfurosa subia até os depósitos por pressão natural. O balneário não existe mais. Em seu lugar foram construídas, no final dos anos 20, as Thermas Antônio Carlos, um dos mais belos prédios do município.

Poços recebeu seu primeiro visitante ilustre, o Imperador Dom Pedro II, em outubro de 1886. Ele esteve na "freguesia", acompanhado da imperatriz dona Teresa Cristina, para a inauguração do Ramal da Estrada de Ferro Mogiana. Três anos depois, em 1889, o município foi desmembrado do distrito de Caldas e elevado à categoria de vila e município. Seu nome tem relação com a história da Família Real Portuguesa. Na época em que foram descobertos os poços de água térmica e sulfurosa e, o município de Caldas da Rainha, em Portugal, já era uma importante terma utilizada para tratamentos e muito frequentada pela família real. Caldas possui o mais antigo hospital termal em funcionamento no mundo, desde o século XVI. Como as fontes eram poços utilizados por animais, veio o nome Poços de Caldas.

A prosperidade e o luxo tiveram seu grande momento em Poços de Caldas enquanto o jogo esteve liberado no Brasil. Pelos salões do Palace Casino e do Palace Hotel desfilava a nata da aristocracia brasileira e até de outros países. O presidente Getúlio Vargas tinha uma suíte especial no hotel, com a mesma decoração da que ele usava no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, então capital do país. O quarto ainda hoje preserva os móveis e o estilo da época. Mas uma das maiores atrações do hotel continua sendo sua piscina térmica, construída num suntuoso salão sustentado por colunas de mármore de carrara.

Dentre os artistas que passaram pelo Palace Casino naquela época áurea incluem-se Sílvio Caldas, Carmem Miranda, Orlando Silva e Carlos Galhardo. Estiveram também em Poços de Caldas personagens ilustres como Rui Barbosa, Santos Dumont, o poeta Olavo Bilac e o romancista João do Rio. Entre os políticos, o interventor de Minas Gerais durante o Estado Novo, Benedito Valadares, e o presidente Juscelino Kubitschek, entre outros, foram também presenças constantes.

A proibição do jogo, em 1946, e a invenção do antibiótico tiveram forte impacto para o turismo no município. O termalismo deixou de ser a maneira mais eficaz de tratar as doenças para as quais era indicado. E os cassinos foram fechados. A economia de Poços sofreu um grande abalo, mas logo encontrou uma alternativa ao entrar no "ciclo da lua-de-mel", quando tornou-se elegante passar as núpcias no município e o turismo conseguiu fôlego para sobreviver. Depois deste período, o perfil do turista que visita Poços mudou. A classe média e grandes grupos passaram a frequentar as termas, a visitar as fontes e outros pontos de atração do município, antes restritos à elite.

Em 2006, o município realizou investimentos para aumentar o fluxo de turistas, explorando outros belos atrativos de que dispõe, para pessoas de todas as idades e gostos, como o turismo ecológico, cultural, de aventura e esportes radicais.

Economia

Até a década de cinquenta, a principal fonte de receita do município era o turismo. As primeiras indústrias de porte instalaram-se nos anos 70, explorando as grandes jazidas de bauxita. Vieram a Alcominas, produzindo lingotes de alumínio, a Fertilizantes Mitsui, a Celanese do Brasil, de fibras químicas para têxteis e a Termocanadá que produzia cabos elétricos de cobre e alumínio. Mais tarde, Alcominas e Termocanadá passam ao controle da Alcoa, constituindo a Alcoa Alumínio SA e a Alcoa Divisão de Cabos e Condutores.

Ainda nos anos 70, a Laticínios Poços de Caldas iniciou sua produção de iogurtes com a tecnologia da Francesa Danone. Até esta época, a agroindústria voltada basicamente para o mercado regional era a principal atividade do município. A Laticínios de Poços de Caldas ampliou também suas instalações. A produção de São Paulo foi toda transferida para a fábrica local. A instalação na cidade Poços de Caldas de uma indústria que utilize quantidade significativa de fundidos de alumínio é altamente estratégica. A economia de energia seria significativa. Esta indústria poderá adquirir da Alcoa o Alumínio Líquido, primário, processo que ela já adota na fabricação de condutores. A Alcoa é hoje a maior empresa de Poços de Caldas. Suas atividades: pesquisa de recursos de subsolos, extração de bauxita e outros minerais, transformação de bauxita em óxido de alumínio e lingotes de alumínio e produção de condutores elétricos.

A Celanese, que passou a chamar-se Celbras, foi incorporada pelo Grupo Sinasa. Em 1995, associa-se à Rhodia, dando origem à Rhodia Sther, primeira indústria a fabricar resina na América Latina, hoje adquirida pelo grupo italiano M&G. A atividade industrial representa hoje cerca de 57,26% da arrecadação municipal, contra 18% do setor primário e 18% do terciário. O parque industrial instalado no município conta ainda com as indústrias Ferrero do Brasil, Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), Yoorin /Estação Bauxita (da Mineração Curimbaba), Mineração Curimbaba, Cerâmica Togni, Sanitex, entre outras. Hoje, cerca de 97% das empresas do município são de pequeno porte (até 29 funcionários). Entretanto, 27% dos empregos estão concentrados em 14 empresas de grande porte (+ de 250 funcionários) que representam apenas 0,3% do total. Poços de Caldas é hoje cidade mais desenvolvida do Sul de Minas Gerais.

Para homenagear a comunidade de moradores desta maravilhosa cidade, o Encontra Minas Gerais criou o Encontra Poços de Caldas.

Blog do Guia da Cidade de Poços de Caldas

Receba notícias por e-mail
Cadastre-se e receba notícias de Poços de Caldas por email
 

Limites - Cidades Vizinhas

Andradas, MG; Botelhos, MG; Bandeira do Sul, MG; Caldas, MG; Caconde, SP; Divinolândia, SP; São Sebastião da Grama, SP e Águas da Prata, SP.

Dados Principais sobre Poços de Caldas

Aniversário: 6 de Novembro
Fundação : 1872
Gentílico: poços-caldense
Area: 544,420 Km²
População 152 496 hab. (2010)
IDH 0,841 - elevado
Prefeitura Poços de Caldas

Brasão de Poços de Caldas
Brasão de Poços de Caldas

Bandeira de Poços de Caldas
Bandeira de Poços de Caldas

Vídeo sobre a cidade de Poços de Caldas

Mapa de Poços de Caldas

 

Moradores ilustres de Poços de Caldas

 

   

  Sobre o EncontraPoçosdeCaldas
Anuncie no EncontraPoçosdeCaldas
Cadastre sua Empresa no EncontraPoçosdeCaldas (grátis)
Fale com EncontraPoçosdeCaldas


Termos do Serviço | Política de Privacidade